Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 31 de julho de 2012

VOCÊ JÁ CONFUNDIU PALÍNDROMO COM ACRÓSTICO. EU JÁ.
MEU DIÁLOGO COM ANA
Teu nome é um acróstico. Ela respondeu: O que? Repeti – teu nome é um acróstico Ela respondeu: – o que? E assim foi …..  – Teu nome é um acróstico   – o que? – Teu nome é um acróstico   – o que?
- Teu nome é um acróstico   – o que?
- Teu nome é um acróstico   – o que?
- Teu nome é um acróstico   – o que?
- Teu nome é um acróstico   – o que?
- Teu nome é um acróstico   – o que?
- Teu nome é um acróstico   – o que?
- Teu nome é um acróstico   – o que é isto?
A história só acaba, quando o último desiste.
Nada é tão fácil quanto parece nem tão difícil quanto você acha.
Pedir desculpa nem sempre significa que tu ta errado e a outra pessoa está certa,apenas que tu valoriza a tua relação mais do que o teu ego

Olimpíadas


 Datas previstas:   

   Os Jogos Olímpicos de Londres, na Inglaterra, acontecem de 27 de julho a 12 de agosto de 2012. Já os Jogos Paraolímpicos ocorrerão de 29 de agosto a 9 de setembro do mesmo ano.


"Tem um corno lendo essa frase. Ele vai ler até o fim porque além de corno é curioso e vai confirmar isso dando uma risadinha."
Se for bebê não dirija! Espere até completar 18 anos.
Tô mais perdido que político honesto em Brasília.
Se tudo que vai volta, acho que meu dinheiro se perdeu no caminho.
É por isso que eu adoro o meu GPS. Não importa o problema que eu esteja enfrentando, ele sempre me diz: "Siga em frente."
Após décadas de estudo ficou comprovado. O casamento é o principal motivo dos divórcios.
A maioria dos nudistas são pessoas que você não queria ver sem roupa.
Fui brincar de ser feio e agora não sei como parar .
As 6 fases de um projeto: entusiasmo, desilusão, pânico, busca dos culpados, punição dos inocentes e glória aos não participantes.
 Dia 30/07 começaram as aulas novamente para os alunos do zulma,tivemos duas semanas para descansar mesmo,porém tivemos o festival de dança aqui em   Joinville recebemos muitos visitantes de fora,foram dias bastante produtivos para quem acompanhou! Enfim.. as aulas estão ai mais uma vez! 

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Certa vez um gago estava num posto de gasolina parado um carreteiro pediu ajuda para estacionar .O gago muito prestativo foi ajudar então o carreteiro começou a dar ré o gago foi falando ve-ve-ve-vem-vem-vem ve-ver a ca-ca-ga-ga-da que vo-vo-c-c-cê fez a-a-arre-ga-ga-ço-çou tu-tu-do-do


Tinha um pipoqueiro na esquina de uma rua vendendo suas pipocas, quando veio um cara forte e sarado que era gago e perguntou:
- Po-po-po-por por fa-fa-vor, Que-que-que-que horas tem?
O pipoqueiro ficou calado. E mais uma vez o cara perguntou:
-Que-que-que horas tem?
E o pipoqueiro continuou calado, até que o cara forte e sarado gago foi embora.
Ali próximo tinha um rapaz na parada de ônibus e perguntou ao pipoqueiro:
- Senhor, porque você não informou as horas para o rapaz gago?
O pipoqueiro respondeu:
- Tu-tu-tu queria que-que-que eu le-le-le va-va se uma po-po-po rrada é ?
O gago caminhando pela rua procurando uma escola para gago, encontra um português e pergunta:
- Ooo Ooo se se sennnhor sa sa ssabe onde te tetem uma esco co cola pa pa para ga ga gago.
O português esperto responde:
- Mas pra que você quer escola? Se ja gagueja tão bem!!

Versão Corinthiana do Pink e Cérebro
- O que vamos fazer hoje, cérebro?
- Tentar conquistar a América!


Ficha técnica
CORINTHIANS 2 x 0 BOCA JUNIORS
Gols
CORINTHIANS: Emerson, aos 8min e aos 27min do 2º tempo
CORINTHIANS: Cássio; Alessandro, Leandro Castán, Chicão e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Danilo; Jorge Henrique, Alex (Douglas) e Emerson (Liédson) 
Treinador: Tite
BOCA JUNIORS: Orión (Sebastián Sosa); Sosa, Caruzzo, Schiavi e Clemente Rodríguez; Ledesma (Cvitanich), Somoza, Erviti e Riquelme; Pablo Mouche (Viatri) e Santiago Silva 
Treinador: Julio César Falcioni
Cartões amarelos
CORINTHIANS: Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Jorge Henrique 
BOCA JUNIORS: Schiavi, Caruzzo, Riquelme e Santiago Silva
Árbitro
Wilmar Roldán
Local
Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)

Explosão corintiana 
Sem substituições, os times voltaram pelo menos mais soltos no segundo tempo. Emerson já arriscou um chute cruzado aos 30s. Mas o Boca respondeu após uma falha de Danilo, em que Fábio Santos se jogou para cruzar o passe perigo de Sosa.
A melhor criação de chances resultou em gol: após cobrança de falta no meio-campo, Ralf desviou com a cabeça e manteve a bola viva na área. Danilo disputou a jogada no alto, mas só ganhou quando a bola tocou no chão - com um toque de calcanhar, deixou Emerson sozinho, de frente para o gol. O atacante fez o que dele se espera: abriu o placar, balançou as redes e fez explodir a alegria da torcida corintiana no Pacaembu.
O Boca não morreu na partida, mas sentiu o golpe. Tentou controlar o ritmo do jogo, administrar a posse de bola, mas era impossível fazer isso com tantos erros de passe. Um lançamento só foi acertado em uma bola parada, cobrada por Riquelme aos 26min: apesar do cabeceio perigoso, Cássio agarrou com tranquilidade.
Porém, Schiavi não teve a mesma tranquilidade na sequência: aos 27min, o zagueiro argentino errou um passe simples no meio-campo e entregou a bola nos pés de Emerson. Ele avançou rapidamente, ganhou na velocidade e finalizou com tranquilidade no canto direito, "incendiando" de vez a torcida no Pacaembu.
Sem esperanças, nem gols ou qualidade, só sobraram reclamações para o Boca. O time protestou contra Emerson, que passou a provocar os argentinos. Na bola mesmo quem ainda levava perigo era o Corinthians, como em uma falta bem cobrado por Chicão aos 38min. Isso bastou para os corintianos comemorarem o fim do trauma e a conquista de um título tão desejado.


Esportes

Corinthians vence Boca, é campeão da Libertadores e encerra trauma 

Portal TerraDiego Garcia e José Edgar de Matos
São Paulo - O trauma acabou. O sonho foi realizado. A história está feita: o Corinthians foi campeão da Copa Libertadores pela primeira vez, nesta quarta-feira, em pleno Estádio do Pacaembu lotado. O sabor inédito da conquista foi degustado pelo time paulista pela primeira vez, após a vitória por 2 a 0 contra o Boca Juniors. Os gols de Emerson coroaram uma campanha brilhante: com oito vitórias e seis empates, o Corinthians foi campeão invicto e se libertou da melhor maneira possível.
A Libertadores tinha criado uma série de traumas na história do Corinthians. O time já tinha sido eliminado duas vezes pelo arquirrival Palmeiras, sofrido ameaças de protesto da torcida em campo e perdido na primeira fase para o então desconhecido Tolima, por exemplo. Mas todo esse trauma foi enterrado com uma campanha incrível, em que adversários como Vasco, Santos e Boca foram superados, o que só valorizou a conquista alvinegra.
O Boca até repetiu no começo do primeiro tempo o que o Corinthians fez na Bombonera: fora de casa, mostrou tranquilidade para segurar o ânimo dos adversários nos primeiros minutos. A frieza argentina contaminou os corintianos, que até evoluíram na partida, mas não conseguiram aproveitar a empolgação da torcida. O Boca ainda viveu um drama, já que o goleiro Orión saiu lesionado, foi substituído e chorou no banco de reservas. Apesar do substituto Sebastián Sosa ter sido testado, o primeiro tempo não esquentou mais.
A explosão de alegria corintiana só veio aos 8min do segundo tempo: após toque de calcanhar de Danilo, Emerson ficou sozinho na área e finalizou com perfeição para o gol. O Boca passou a errar passes simples e pouco conseguiu assustar o time paulista até que um erro fatal aconteceu: Schiavi entregou a bola nos pés de Emerson, que marcou de novo e decretou de vez a vitória. Sem sustos e nem sofrimento, o Corinthians vibrou pela conquista inédita e fez o Pacaembu pegar fogo como poucas vezes na história.
Primeiro tempo morno 
A partida começou com cara de Libertadores, já que teve discussão com apenas 3min. Após uma disputa entre Mouche e Chicão, os jogadores dos dois times reclamaram, com uma briga mais ríspida entre Erviti e Paulinho. Mas quando a bola rolou, o Boca repetiu o que o Corinthians fez na Bombonera: não sentiu a pressão e conseguiu equilibrar as ações em campo, apesar da torcida contra. O clima quente do começo de jogo rapidamente ficou frio no Pacaembu.
O Corinthians só conseguiu levar algum perigo ao gol aos 11min, quando o goleiro Orión ameaçou soltar um chute de Alex, mas corrigiu o erro rapidamente. O Boca tentou administrar a posse de bola, mas falhou sempre que tentou o último passe. Por isso, os corintianos se animaram, principalmente quando Emerson conseguiu passar por dois jogadores, aos 15min. Caruzzo conseguiu afastar o perigo já dentro da área, mas o Boca ainda viveu um drama aos 30min: o goleiro Orión sentiu uma lesão no joelho esquerdo, saiu chorando e o uruguaio Sebastián Sosa entrou em seu lugar.
Em evolução na partida, o Corinthians não demorou para testar Sosa. Aos 36min, Emerson avançou pela esquerda, ganhou de Schiavi na velocidade e cruzou para a área. O uruguaio não foi bem e apenas olhou a bola passar, mas Clemente Rodríguez apareceu para salvar o Boca. Já aos 38min, Sosa apareceu melhor, quando agarrou com segurança um chute de longe arriscado por Alex. A partida ainda teve cinco minutos de acréscimo por causa da lesão de Orión, mas os times não foram capazes de aproveitar isso e terminaram um primeiro tempo apenas morno.

São Paulo - O trauma acabou. O sonho foi realizado. A história está feita: o Corinthians foi campeão da Copa Libertadores pela primeira vez, nesta quarta-feira, em pleno Estádio do Pacaembu lotado. O sabor inédito da conquista foi degustado pelo time paulista pela primeira vez, após a vitória por 2 a 0 contra o Boca Juniors. Os gols de Emerson coroaram uma campanha brilhante: com oito vitórias e seis empates, o Corinthians foi campeão invicto e se libertou da melhor maneira possível.
A Libertadores tinha criado uma série de traumas na história do Corinthians. O time já tinha sido eliminado duas vezes pelo arquirrival Palmeiras, sofrido ameaças de protesto da torcida em campo e perdido na primeira fase para o então desconhecido Tolima, por exemplo. Mas todo esse trauma foi enterrado com uma campanha incrível, em que adversários como Vasco, Santos e Boca foram superados, o que só valorizou a conquista alvinegra.
O Boca até repetiu no começo do primeiro tempo o que o Corinthians fez na Bombonera: fora de casa, mostrou tranquilidade para segurar o ânimo dos adversários nos primeiros minutos. A frieza argentina contaminou os corintianos, que até evoluíram na partida, mas não conseguiram aproveitar a empolgação da torcida. O Boca ainda viveu um drama, já que o goleiro Orión saiu lesionado, foi substituído e chorou no banco de reservas. Apesar do substituto Sebastián Sosa ter sido testado, o primeiro tempo não esquentou mais.
A explosão de alegria corintiana só veio aos 8min do segundo tempo: após toque de calcanhar de Danilo, Emerson ficou sozinho na área e finalizou com perfeição para o gol. O Boca passou a errar passes simples e pouco conseguiu assustar o time paulista até que um erro fatal aconteceu: Schiavi entregou a bola nos pés de Emerson, que marcou de novo e decretou de vez a vitória. Sem sustos e nem sofrimento, o Corinthians vibrou pela conquista inédita e fez o Pacaembu pegar fogo como poucas vezes na história.